TOP GUN: COMO A REVOLUÇÃO NO TREINAMENTO DE PILOTOS ATERRISSOU NAS MESAS DE CIRURGIA

por Prof. Dr. Miguel Nácul

O termo top gun remete de imediato ao filme americano de maior sucesso de bilheteria de 1986, estrelado por ninguém menos que Tom Cruise. Com um faturamento de 356 milhões de dólares no mundo inteiro, Top Gun - Ases Indomáveis, na versão brasileira, se tornou “cult movie” para diversas gerações de fãs. Dirigido por Tony Scott, o filme é baseado em um artigo do jornalista israelense Ehud Yonay publicado na revista California Magazine. Na película, Cruise interpreta o Tenente Pete Maverick Mitchell, um jovem aviador naval que trabalha a bordo do porta-aviões USS Enterprise e que recebe a chance de treinar na US Navys Fighter Weapons School em San Diego, Califórnia.

Na vida real, “TOPGUN”, como é popularmente conhecido o United States Navy Strike Fighter Instructor (SFTI), é um programa de treinamento de técnicas e táticas de combate para aviadores e oficiais de voo selecionados da marinha americana. Tudo começou em março de 1969 com a fundação da United States Navy Fighter Weapons School. A história é interessante e merece ser contada!

Em 1968, o almirante chefe de operações navais Thomas Hinman Moorer solicitou ao capitão Frank Ault uma pesquisa sobre as razões de falhas dos mísseis ar-ar dos EUA durante os combates nos céus do Vietnã do Norte, por ocasião da Guerra do Vietnã. A Operação Rolling Thunder, de março de 1965 a novembro de 1968, presenciou a perda de 1000 aeronaves dos EUA em cerca de um milhão de missões. Durante esse período, Marinha e Força Aérea começaram a mostrar sinais de anos de redução da ênfase no treinamento de manobras de combate aéreo e uma dependência cada vez maior da tecnologia. Como resultado dessa negligência, sua proporção de inimigos abatidos/número de aeronaves perdidas para cada um dos seus próprios aviões caiu assustadoramente de 12:1 durante as guerras anteriores para 2:1.

O fracasso da operação levou as duas forças militares a realizar uma investigação que resultou em conclusões opostas. Para a Força Aérea suas perdas se deram, principalmente, a ataques de aviões de origem russa MiG não observados pela retaguarda e eram, portanto, um problema de tecnologia. Já a Marinha publicou o "Relatório Ault", e concluiu que o problema residia no treinamento inadequado da tripulação em manobras de combate aéreo. Entre as sugestões para melhorar o desempenho do combate aéreo, o “Relatório Ault” recomendou a criação de um centro de treinamento de pilotos (o Navy Fighter Weapons School), estabelecido na Estação Aérea Naval Miramar em San Diego. A unidade tinha como principal objetivo treinar, aprimorar tripulações de aviões de caça, incluindo táticas, técnicas, procedimentos e doutrina. A partir de então se constituiu um núcleo de pilotos altamente experientes para construir, guiar e melhorar os ciclos de treinamento de armas e o desempenho subsequente da tripulação. Instrutores qualificados foram um elemento essencial para o sucesso do programa “Top Gun”, que eram obrigados a se tornarem especialistas em técnicas de treinamentos eficazes.

Seus currículos eram atualizados constantemente com base nas críticas das aulas e integração de táticas de desenvolvimento de novos sistemas no combate às ameaças emergentes. A metodologia de ensino utilizada baseava-se em simulação, replicando realisticamente aeronaves inimigas. Durante a paralisação do bombardeio contra o Vietnã do Norte, entre 1968 até 1970, o “Top Gun” se estabeleceu como um centro de excelência em doutrina, tática e treinamento de pilotos. Quando a atividade aérea sobre o Norte foi retomada, a maioria dos esquadrões da Marinha tinha graduação no programa e os resultados foram dramáticos. O programa levou as tripulações além do seu limite de desempenho anteriormente registrado. A taxa de morte/perda da Marinha contra os MiGs da Força Aérea do Vietnã do Norte disparou de 2,42:1 para 12,5:1, enquanto a Força Aérea, que não havia constituído um programa de treinamento nos mesmos moldes, viu sua taxa de morte piorar por um tempo quando da retomada dos bombardeios.

Como é possível observar, grande parte dos conceitos sobre segurança em cirurgia foi fundamentado em conhecimentos desenvolvidos pela aviação militar e civil. Inspirado nesta história, o cirurgião americano James Rosser desenvolveu, em 1992, um programa “Top Gun” de treinamento em videocirurgia. O médico observou que a introdução da cirurgia minimamente invasiva na prática profissional de cirurgiões gerais e especialistas, a partir do final dos anos 1980, acelerou o surgimento de novas aplicações e técnicas. No entanto, a evolução foi mais lenta que o previsto. Para se ter uma ideia, no 10º Congresso Internacional da Society of Laparoendoscopic Surgeons (SLS), cirurgiões ginecológicos franceses relataram que apenas 15% dos seus profissionais praticavam rotineiramente procedimentos videocirúrgicos avançados. As razões apresentadas como explicação para essa estagnação foram as mais diversas, mas o fator-chave parece ser a falta de habilidades necessárias para executar procedimentos videocirúrgicos avançados com segurança e eficiência por uma parcela significativa dos cirurgiões.

Em busca de soluções, Rosser observou semelhanças com a situação difícil da aviação naval dos Estados Unidos durante os primeiros anos da Guerra do Vietnã. De maneira semelhante, os cirurgiões e a indústria inicialmente estabeleceram convicção que a tecnologia minimizaria a necessidade de instituir um conjunto exclusivo de habilidades necessárias para o ambiente videocirúrgico. Mas o resultado foi de complicações e dificuldades, com interferência, inclusive, na velocidade de disseminação da videocirurgia e o desenvolvimento de confiança no método por parte de pacientes e médicos. Infelizmente, cirurgiões enfrentam a difícil tarefa de desenvolver as habilidades necessárias para procedimentos avançados minimamente invasivos. Assim, deve haver uma disposição para se comprometer novamente com o treinamento dessas habilidades, incluindo a sutura endoscópica.

O Programa de Habilidades Laparoscópicas e Sutura “Top Gun” objetiva fornecer uma plataforma de desenvolvimento rápido e eficaz para aquisição de habilidades e excelência em sutura no ambiente videocirúrgico. A metodologia de treinamento é inspirada no currículo básico do programa “Top Gun” da Marinha para pilotos de aviões de caça. Isso inclui uma divisão de tarefas complexas em seu nível mais elementar, como exercícios preparatórios para facilitar a execução dessas atividades, construção do trabalho em equipe e o uso de métricas para avaliar o desempenho. O primeiro Programa “Top Gun” foi realizado em Aruba, em 1992, com 20 participantes de oito países. Desde então, e com grande sucesso, o programa tem feito parte dos congressos internacionais da SLS e da Society of American Gastrointestinal and Endoscopic Surgeons (SAGES).

Na aviação militar americana se diz que: “hoje, em qualquer céu deste planeta, nossos pilotos voam com uma arrogância controlada que se baseia na filosofia treine enquanto luta e lute como treina.” No mundo da cirurgia poderíamos adaptar para: “hoje em qualquer bloco cirúrgico nossos cirurgiões atuam com uma arrogância controlada baseada na filosofia “treine como se estivesse operando e opere como treinou”!

A excelência não se baseia apenas no talento, mas também em táticas e técnicas superiores. Os cirurgiões não nascem para a grandeza, mas sim pela vontade de serem treinados. Com a evolução tecnológica dos simuladores, em especial, aqueles com realidade virtual e em metodologias de ensino baseadas em critérios objetivos de proficiência, resultados melhores são esperados no treinamento em cirurgia, possibilitando aos cirurgiões oferecerem aos seus pacientes procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos em técnicas tecnológico dependentes com eficiência e segurança. Os esforços do “Top Gun” são dedicados às tripulações de aviões de caça, no passado, no presente e no futuro. E também para os cirurgiões e seus pacientes!

Gostou do conteúdo? Leia também o texto sobre a influência da aviação no treinamento dos cirurgiões: https://institutosimutec.com.br/blog/p/influencia-da-aviacao-no-treinamento-dos-cirurgioes

Referências
1.https://pt.wikipedia.org/wiki/Top_Gun_-_Ases_Indom%C3%A1veis

2.https://en.wikipedia.org/wiki/United_States_Navy_Strike_Fighter_Tactics_Instructor_program