POR QUE A CIRURGIA ROBÓTICA AUMENTA O VOLUME CIRÚRGICO DE UM HOSPITAL?

por Prof. Dr. Miguel Nácul

A questão da adoção de novas tecnologias em cirurgia e seu potencial efeito de aumentar o volume de procedimentos realizados tem sido trazido à pauta com a cirurgia robótica. O tema foi debatido nos anos 1990 quando da disseminação da colecistectomia videolaparoscópica. O “novo” procedimento, minimamente invasivo, estimulou médicos e pacientes a aumentarem o número de colecistectomias em razão da menor dor pós-operatória, mais rápida recuperação e retorno às atividades normais, além de um efeito estético muito superior do que uma colecistectomia aberta. Dentro do mundo do pensamento estratégico de negócios, a diferenciação pela “novidade tecnológica” (mesmo que não bem testada ou estabelecida), pode ser uma estratégia para obter vantagem competitiva. Diversos estudos têm demonstrado que, após décadas de persistência de uma porcentagem baixa de hérnias da região inguinal operadas por laparoscopia, o advento da cirurgia robótica gerou um claro incremento do número de hérnias inguinais operadas por técnicas minimamente invasivas. Será que este fenômeno se dá pelo efeito catalisador da nova tecnologia?

O reparo robótico da hérnia inguinal está associado a custos mais elevados. Mesmo assim, a cirurgia robótica tem sido uma opção atraente para pacientes submetidos à cirurgia eletiva de hérnia inguinal. No entanto, devido aos altos custos de manutenção e operação, a adoção da tecnologia robótica pode não garantir maior lucratividade ou demonstrar um aceitável custo-benefício neste momento. Neste sentido, autores do Departamento de Cirurgia da USF Morsani College of Medicine da Universidade do Sul da Flórida em Tamba Bay/EUA e do Departamento de Cirurgia da Loyola University Medical Center em Maywood, Ilinóis/EUA publicaram interessante artigo científico no Journal of Robotics Surgery em setembro 2021 (Barry TM, Janjua H, DuCoin C, Eguia E, Kuo PC. Does adoption of new technology increase surgical volume? The robotic inguinal hernia repair model. J Robot Surg. 2021 Sep 13). Os autores consideraram a hipótese de que a introdução da tecnologia robótica aumentaria o volume cirúrgico geral de reparos de hérnia inguinal dentro de um hospital em comparação com hospitais não robotizados.

Entre os anos de 2010 e 2018 foram analisados os dados de pacientes ambulatoriais da Florida Agency for Health Care Administration. Considerando reparos de hérnia inguinal aberta, laparoscópica e robótica através de códigos específicos, os autores buscaram verificar a diferença no volume total de hérnias operadas em hospitais pré e pós-adoção da tecnologia robótica. Além disso, os primeiros hospitais a adotar a tecnologia robótica foram comparados com seus concorrentes regionais  “não robóticos”. Os autores analisaram um total de 258.785 reparos de hérnia inguinal (5.774 por robótica, 88.265 por laparoscopia e 164.746 abertos) realizados em 398 hospitais, 94 dos quais com capacidades robóticas. De todos os tipos de procedimentos, cerca de 90% foram reparos de hérnia inguinal primária. Hospitais com robótica experimentaram um aumento de 9,5% no volume total de reparos de hérnia inguinal após a introdução da tecnologia. Um aumento significativo no volume total da hérnia foi observado também para os hospitais pioneiros em cirurgia robótica. Ao comparar “hospitais robóticos” com “ não robóticos” circunvizinhos em um raio de 15 milhas, o estudo verificou um aumento significativo no número de casos de hérnia inguinal realizados em hospitais de “adoção precoce”. Isso apoia a ideia de que a disponibilidade de tecnologia robótica pode ter atraído mais pacientes para o hospital, afastando-os das instalações vizinhas. O mesmo pode ser verdadeiro para cirurgiões que atuavam anteriormente em centros ambulatoriais ou hospitais menores que vislumbram um incentivo para operar em hospitais com capacidade robótica instalada, outro achado do estudo.

Estudo publicado no JAMA em 2020 (Sheetz KH, Claflin J, Dimick JB. Trends in the Adoption of Robotic Surgery for Common Surgical Procedures. JAMA Netw Open. 2020 Jan, de autores do Departamento de Cirurgia da Universidade de Michigan/EUA, observou que hospitais que adquirem um sistema robótico apresentam um aumento na realização de procedimentos cirúrgicos com o uso da ferramenta robótica e uma diminuição no número de casos laparoscópicos. Não está claro se isso se deve ou não à preferência do cirurgião ou do paciente, ou se os cirurgiões são incentivados a utilizar o robô para o uso desse investimento pelo hospital. A satisfação do paciente relacionada à cirurgia minimamente invasiva com assistência robótica é difícil de quantificar.

Alguns estudos sugerem que o estabelecimento de expectativas no pré-operatório e a adequada e competente explicação do procedimento aos pacientes têm maior impacto na satisfação do paciente, independente da técnica. Obviamente que técnicas envolvendo tecnologias mais sofisticadas, recentes e em exposição na mídia, tendem a serem mais aceitas pelos pacientes. Dada a relativa novidade da cirurgia robótica em comparação com a cirurgia laparoscópica ou aberta, há mais recursos disponíveis que fornecem informações detalhadas aos pacientes sobre a tecnologia e seus benefícios potenciais. Para hérnias inguinais especificamente, a dor inguinal pós-operatória pode afetar significativamente a qualidade de vida de um paciente, e as abordagens minimamente invasivas são vantajosas neste sentido em relação à cirurgia aberta. Embora as abordagens robótica e laparoscópica sejam semelhantes em termos de dor e recuperação-operatória, o marketing da tecnologia robótica tem mais probabilidade de apregoar esses benefícios como resultado direto do uso da ferramenta robótica.

Ainda sem resposta e além do escopo do estudo se o aumento do volume cirúrgico determina uma elevação no lucro bruto associado ao robô. A utilização de dados que incluem custos e encargos pode fornecer uma visão mais aprofundada. Fatores que podem desempenhar um papel incluem a diminuição do tempo de internação, redução de complicações, aumento da satisfação do paciente, distribuição dos valores de inicialização do robô, incluindo pessoal, sobre o volume aumentado, custos de descartáveis do robô, incremento do negócio de novos pacientes, entre outros. A este respeito, preços de robô são ainda muito superiores aos da laparoscopia para a imensa maioria dos procedimentos, em especial para o tratamento das hérnias da região inguinal.

Os autores concluem que a adoção da tecnologia robótica pode gerar um aumento significativo no volume total de procedimentos cirúrgicos em um hospital.


Leia também este outro conteúdo sobre cirurgia robótica no nosso Blog: https://institutosimutec.com.br/blog/p/cirurgia-robotica-de-promessa-a-realidade

Referências:
1. Barry TM, Janjua H, DuCoin C, Eguia E, Kuo PC. Does adoption of new technology increase surgical volume? The robotic inguinal hernia repair model. J Robot Surg. 2021 Sep 13. doi: 10.1007/s11701-021-01304-6. Epubaheadof print. PMID: 34515929.
2. Sheetz KH, Claflin J, Dimick JB. Trends in the Adoption of Robotic Surgery for Common Surgical Procedures. JAMA Netw Open. 2020 Jan 3;3(1):e1918911.