10 armadilhas que os médicos devem evitar nas redes sociais (parte 2)

por Prof. Dr. Miguel Nácul

10 ARMADILHAS QUE OS MÉDICOS DEVEM EVITAR NAS REDES SOCIAIS – PARTE 1

Texto adaptado por Dr. Miguel Nácul de Medscape Physician Business Academy course, Doctors and the Internet: Boost Your Reputation and Career (https://www.medscape.com/viewarticle/923452).Autor do texto original: Michael Woo-Ming, MD, MPH - CEO da BootstrapMD, consultoria de negócios para médicos, especializada em marketing digital; e proprietário da Executive Medical em San Diego, California. 

Continuando o artigo da semana passada, seguem mais 5 armadilhas comuns no uso das redes social para os médicos:
 
6. Fazer declarações não profissionais nas mídias sociais
 
As mídias sociais estão cheias de opiniões fortes sobre tudo, desde política e raça até registros eletrônicos de saúde. Algumas pessoas pensam que estão protegidas por um pseudônimo, mas pode ser bastante fácil detectar sua identidade. Comentários sobre raça ou gênero, em particular, podem se tornar virais e levar até a demissões. Os pacientes não gostam de comentários negativos em geral, mesmo que não sejam direcionados a eles. A solução óbvia é parar de usar as mídias sociais como um diário particular. O médico deve manter animosidades para si mesmo. Ao deparar-se com uma postagem abusiva, o médico deve ser educado. Em muitos casos, outras pessoas defenderão a postura adotada pelo médico e o comentarista abusivo desistirá da conversa. Não poste nada com raiva. Antes de postar algo, o médico deve revisar o post ou pedir para um colega fazê-lo.
 
7. Violar as restrições dos empregadores nas mídias sociais
 
Clínicas, hospitais e sistemas de saúde têm todos os tipos de restrições ao uso das mídias sociais. O médico deve conhecê-las antes de ir trabalhar em alguma instituição. Essas restrições podem ser muito onerosas se o médico for um usuário pesado de mídia social. Muitas organizações proíbem o uso de mídias sociais em computadores no local de trabalho e podem realmente bloquear o acesso a elas em seus computadores. Mas como não podem bloquear o acesso por meio de smartphone ou laptop pessoais, definem regras sobre o uso das mídias sociais em geral. Alguns empregadores vão além e mantêm o direito de assumir o controle de suas atividades de mídia social.
 
8. Não revelar conflitos de interesse nas mídias sociais
 
Os criadores de blogs raramente divulgam conflitos de interesse. Os conselhos médicos estaduais veem isso como um problema. Ao escrever sobre um produto ou procedimento, os médicos devem revelar quaisquer conflitos de interesse existentes e devem ser honestos sobre suas credenciais como médicos e seu relacionamento real com o produto ou empresa.
 
 
9. Postar sobre si mesmo em excesso nas mídias sociais
 
Este tipo de comportamento nas mídias sociais não gera multas ou demissões, mas pode criar impressões negativas. Algumas pessoas usam as mídias sociais para falar sobre si mesmas - como se sentiram hoje e o que almoçaram - e se perguntam por que ninguém visita sua página. Mídia social é sobre compartilhamento. É adequado postar, marcar, curtir, comentar e compartilhar o conteúdo de amigos. Mostrar interesse pelos outros é uma boa maneira de fazer com que outros demonstrem interesse na atividade do médico. Outro aspecto importante é manter atualizado o seu perfil. O perfil pessoal ou profissional é um recurso importante para possíveis pacientes. Perfis de prática desatualizados podem criar a impressão de que o médico está fora de contato e que pode não valer a pena acompanhar. Além disso, verifique se todos os seus perfis nas mídias sociais são consistentes. Informações conflitantes podem tornar a prática um pouco superficial. Pacientes em potencial estão procurando uma prática em que possam confiar.
 
10. Excesso de publicações
 
Muitos médicos ocupados postam muito pouco e não recebem muitos seguidores, mas também há pessoas que postam demais. Postagens em excesso não permitem aos seguidores aproveitar cada postagem e podem começar a ignorar seu conteúdo. Duas a três postagens por semana geralmente são suficientes.
 
As mídias sociais apresentam uma variedade de considerações que levam muitos médicos a evita-las, mas em um era onde a internet e as redes sociais ocupam um grande espaço na vida cotidiana, não se pode ignorar o fato de que essa modalidade de compartilhamento de informação é importante demais para ser ignorada, e os médicos devem aprender a usar de forma correta e a evitar as possíveis armadilhas inerentes ao seu uso.