VAMOS FALAR DE ASSÉDIO NO AMBIENTE CIRÚRGICO?

Artigo publicado recentemente na Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), expõe um tema delicado que merece e precisa ser discutido, no momento em que práticas de equidade requerem ampla disseminação: o assédio. As mulheres precisam ter o direito de exercer as atividades que desejarem, a despeito das diferenças biológicas.

BENEFÍCIOS DE NÃO TREINAR NO PACIENTE

Em época de responsabilidade civil e bioética, o “errar é humano” não é mais aceitável por si só. Com a simulação, nós aprendemos para operar e não operamos para aprender, preenchendo uma importante premissa ética da relação médico-paciente.

INFLUÊNCIA DA AVIAÇÃO NO TREINAMENTO DOS CIRURGIÕES

Ambos os profissionais, piloto e cirurgião, tem muito em comum, como atenção, agilidade, sensibilidade, perspicácia e conhecimento. Em suas mãos reside a responsabilidade de preservar vidas, tanto no ar como em terra firme, e para tanto precisam de muito treinamento. Em breve depoimento, o major Ran Roner, da Força Aérea Israelense em Pressfield S., descreve a rotina nos ares.

CARREIRA CIRÚRGICA E A MATERNIDADE

Desde 2004 as mulheres são maioria nas escolas médicas, e desde 2009, a maioria em inscrições nos CRMs. No entanto, a simultaneidade do crescimento profissional com a formação de uma família afeta muito mais as mulheres do que os homens.